Clubes de Consultoria são grandes aliados no recrutamento de candidatos

Os Clubes de Consultoria são formados por alunos que ajudam a divulgar e se preparar para os processos seletivos das empresas de consultorias.


Este artigo foi originalmente publicado no portal Gestão de Pessoas.

Os processos de recrutamento e seleção das três maiores empresas de consultoria estratégicas (The Boston Consulting Group, McKinsey & Company e Bain & Company) são conhecidos como os mais extensos, exigentes e disputados. Os clubes de consultoria foram criados para divulgar e preparar os universitários para esses processos seletivos.

 

As empresas de consultoria atraem por serem multinacionais, obterem carreiras aceleradas, com possibilidade de se tornar sócio da organização, oportunidade de carreira internacional através do Global Job Posting (plataforma corporativa que proporciona a todos os profissionais do Grupo a possibilidade de conhecer e optar por vagas abertas em outros países) e financiamento de MBA no exterior, desafio e aprendizado constante pela variedade de projetos, remuneração ao longo da trajetória de carreira na empresa, dentre outros motivos.

 

Os clubes de consultoria são formados por jovens com interesse em comum de seguir carreira na área de consultoria, assim os jovens se preparam para os processos seletivos através de grupos de estudo para resolução de casos.

 

No Brasil, os clubes de consultoria  ainda existentes surgiram em 2007, com a FEA  Consulting Club na FEAUSP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo), em 2011 o CCU (Clube de Consultoria Unicamp), e nos anos seguinte na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) em Florianópolis, na UNB (Universidade de Brasília), na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), entre outras universidades no país.

 

O clube de Consultoria Unicamp é o mais desenvolvido, com notícias diárias, grupo de e-mail, possibilita plano de carreira dentro do clube, promove competições, oferece grupo de oratória e eventos para mulheres. Os clubes de consultoria universitários aumentam as chances na porta de entrada na carreira de consultoria principalmente pela informação e preparação do candidato, dicas de consultores, treino, colaboração e trabalho em time desenvolvidos nos grupos de estudo.

  

As portas de entrada habituais nessas empresas de consultoria são para universitários, formados há no máximo dois anos e egressos de cursos de MBA, pois espera-se o cumprimento da trajetória de carreira na organização em um período determinado. Este cumprimento que define a permanência na empresa, conhecido como "up-or-out", e que promove o rápido crescimento profissional.

 

As fontes mais utilizadas para recrutamento no Brasil das empresas de consultoria citadas são as parcerias com as melhores universidades do país e com os clubes de consultoria universitários. Assim, atrai os jovens de alto potencial e encaminha os candidatos mais adequados as etapas de seleção. Como estratégia de recrutamento, essas organizações realizam eventos nas universidades, com palestras, simulados e o próprio processo seletivo. Essa estratégia promove a divulgação das empresas e a identificação dos estudantes com perfil que as consultorias estratégicas requerem e procuram. Além do fortalecimento da imagem institucional das empresas de consultoria e formação dos talentos de acordo com as necessidades dessas organizações.

 

O perfil geral procurado pelas empresas de consultoria estratégica é analítico, focado em resultados, entusiasmado, organizado, multitarefa, com habilidade verbal, escrita e de apresentação. A participação em  organizações estudantis são reconhecidas, como AIESEC e Empresa Jr. A fluência na Língua Inglesa é pré-requisito nas três empresas citadas para as vagas de consultoria, porém não há exigência de curso, ou seja, todos os jovens universitários podem seguir carreira em consultoria independente da sua formação acadêmica. Há orientações nos sites da empresa de como se aplicar. Nas aplicações pela internet pode ser requerido também carta de recomendação e histórico acadêmico. Porém, atualmente as organizações têm ido até o talento como estratégia de recrutamento através de palestras e processos seletivos nas universidades. As palestras nas universidades tem o objetivo de apresentar as empresas, compartilhar como é ser um consultor, como se preparar para os processos de seleção e explicar sobre plano de carreira e desenvolvimento dos talentos.

 

Há uma recente expansão da presença do processo de recrutamento nas principais cidades do Brasil, pois anteriormente, os processos seletivos ocorriam apenas no Rio de Janeiro e em São Paulo, localidades onde as empresas têm sede no Brasil.

 

No ano de 2016, as empresas de consultoria começaram com iniciativas voltadas para mulheres, assim a promover eventos e treinamentos específicos para mulheres universitárias. Denominados como “Women’s Happy Hour" promovido pela A. T. Kearney no dia 10 de março e 3 de agosto de 2016, ""Next Generation Women Leaders" promovido pela McKinsey & Company no dia 22 de setembro de 2016 na USP.  

 

Os eventos tem a proposta do desenvolvimento do potencial das mulheres na capacidade de liderança e resolução de desafios onde consultoras, em um ambiente descontraído, abordam temas atuais para construir uma carreira.  

 

O processo seletivo é baseado em testes similares ao GMAT (teste de lógica muito utilizado para concorrer a vagas em pós graduação no exterior), em dinâmicas de grupo e várias entrevistas com resolução de casos de negócios, possibilitando alto nivelamento. A cada etapa o candidato recebe feedback para melhorar para uma próxima seleção. Estudantes podem se inscrever 2 vezes por ano para o processo e formados podem se inscrever 1 vez por ano.   

 

Os clubes de consultoria são grandes aliados no recrutamento das empresas de consultoria, despertando interesse nos jovens universitários, facilitando a divulgação e a reunião dos melhores estudantes, a baixo custo, já que os processos são realizados nas próprias universidades.  As palestras e o extenso processo seletivo também são momentos para o candidato conhecer os valores da empresa, sentir a pressão de trabalho e decidir se pretende seguir carreira na empresa. A estratégia de recrutamento através de palestras e a quantidade de entrevista possibilita o candidato e a empresa à tomar uma decisão mais consciente, e assim também beneficia as empresas de consultoria ao minimizar os riscos de consultores com baixo rendimento, demissão ou desistência dos contratados.


Fonte: Gestão de Pessoas.

 

http://gpprocessosereflexoes.blogspot.com.br/2016/10/clubes-de-consultoria-sao-grandes.html