Companhias procuram quem sabe aprender

Habilidades de comunicação e aprendizado estão entre os comportamentos mais procurados por empresas em profissionais, segundo levantamento da companhia de educação corporativa Affero Lab. Elas têm maior dificuldade, contudo, de encontrar trabalhadores com capacidade de resolver problemas complexos.


Este artigo foi originalmente publicado no portal Valor Econômico.

Fonte: Shutterstock

 

A pesquisa teve participação de 312 profissionais de RH, vendas e gestão, que escolheram os comportamentos que eles mais buscam na hora de contratar e as habilidades mais difíceis de encontrar no mercado atualmente.

 

Facilidade para se relacionar com outras pessoas foi o comportamento mais relevante segundo os profissionais entrevistados, seguido de capacidade de aprender, habilidade de comunicação oral e escrita e pensamento crítico. "Há uma valorização grande da questão da comunicação, da conexão com o outro e da aprendizagem. Com o mundo se transformando tão rápido, as empresas estão procurando pessoas capazes de absorver coisas novas e aplicar isso", diz Alexandre Santille, CEO da Affero Lab.

 

Para Santille, a preocupação se torna relevante porque os profissionais que entram no mercado não vêm prontos, e mesmo os mais experientes precisam absorver a forma de trabalhar na nova empresa. "Quanto mais capacidade de aprender, mais rapidamente a pessoa vai produzir", diz.

 

Além disso, há preferência hoje nas empresas por ferramentas de treinamento e desenvolvimento "on the job", em que os profissionais aprendem no dia a dia, com programas de treinamento acessíveis pelo smartphone ou que combinem aulas e depois ferramentas que mantenham o aprendizado ao longo do tempo. "Um programa de imersão de três dias sem reforço depois tem aplicabilidade e retorno baixos", afirma.

 

Resolução de problemas complexos é o sexto comportamento mais procurado, mas a primeira habilidade considerada mais difícil de ser encontrada no mercado hoje. É seguida de pensamento crítico, atitude empreendedora e criatividade. Santille destaca, entretanto, que essas são justamente algumas das competências mais difíceis de medir no recrutamento. "São habilidades novas e mais complexas", diz.


Fonte: Valor Econômico.

http://www.valor.com.br/carreira/4729037/companhias-procuram-quem-sabe-aprender