Por que contratar uma consultoria?

Muitas vezes os empresários e empreendedores, na ânsia de solucionar problemas e dividir ideias de estratégia, recorrem a concelhos fáceis, mas nem sempre benéficos. Nesta área entra a consultoria, com objetivo de impacto e mudança.


Este artigo foi originalmente publicado no portal Administradores

 

Imagem relacionada
Fonte: Grupo Crasa e Associados

 

O empreendedor e empresário muitas vezes sentem-se como um ente solitário e incompreendido pelos seus colaboradores por não conseguir expressar suas angústias, ou mesmo, ter alguém com quem dialogar e expor suas ideias. Nesses momentos, ter a iniciativa de recorrer a um consultor ou consultora pode fazer a diferença entre permanecer com os problemas e dúvidas ou procurar uma solução que mitigue os riscos e armadilhas do modelo de gestão.

Entretanto, essa não é uma decisão fácil para a grande maioria dos empresários, principalmente para aqueles não familiarizados com as boas práticas de gestão no mundo empresarial. Aqueles que decidem seguir por esse caminho, por vezes erram ao escolher a opção mais “caseira” do consultor amigo da família ou conhecido de alguém muito próximo, sem analisar a experiência e o conhecimento desse profissional.

Para aqueles que optarem em fazer uma escolha consciente e baseada nos atributos necessários para obter uma consultoria que agregue valor, permanece a possibilidade de repensar seu modelo de gestão e adotar uma postura que valorize suas vantagens competitivas e sua visão empreendedora. Estar preparado para receber uma consultoria significa estar aberto para vivenciar as mudanças que possam ocorrer.

Que mudanças são essas? Nos processos de trabalho, por exemplo. A necessidade por inovar ganhou uma dimensão especial neste momento, fazendo com que as empresas repensem seus processos, sua abordagem mercadológica, seus produtos e seu modelo organizacional. Sem dúvida, a empresa que possui processos ágeis e orientados ao seu mercado e aos clientes, está preparada para adaptar-se às mudanças do cenário econômico.

Outra mudança é na forma de encarar o mercado. No mundo atual dos negócios, aquele que empreende deve ter a capacidade de interpretar os avanços da sociedade e antecipar-se aos movimentos do mercado, projetando seu empreendimento para os novos tempos.

A estratégia também é um ponto de mudança.  Para reposicionar a empresa para conquistar as oportunidades e crescer de forma sustentável, alguns aspectos de gestão passam adquirir uma importância maior e ocupar a mente dos empresários como planejar para atender a demanda; definir metas e objetivos; capacitar os recursos humanos; monitorar o mercado para identificar oportunidades e reorganizar os negócios e a estratégia de atuação.

A liderança das pessoas é mais um ponto que pede mudanças. O papel da liderança é fundamental ao êxito da gestão participativa para criar um ambiente adequado ao florescimento das ideias, eliminando os obstáculos à criação e, principalmente, indicando a direção e os rumos que a empresa está tomando em sua estratégia, para melhor direcionar os esforços de todos. Nesse aspecto, a redução de níveis hierárquicos, com o objetivo de sustentar as estratégias e processos, tende a melhorar a coordenação do trabalho e tornar a organização mais ágil e flexível.

Todas essas mudanças fazem parte do escopo de atuação de uma consultoria e, para que ela seja eficiente em sua aplicabilidade, existem alguns requisitos básicos de acompanhamento. O  plano de trabalho é um deles.  É necessário que no início dos trabalhos o consultor explicite o cronograma que irá seguir com as etapas do projeto e produtos a serem gerados.  Outro requisito é a capacidade de adequação às mudanças. Os itens relacionados no plano de trabalho devem contribuir para realizar as mudanças no modelo de gestão, alinhadas às boas práticas de mercado.

O treinamento das pessoas envolvidas é um dos principais requisitos. As mudanças não acontecem sem o envolvimento das pessoas, portanto, é importante o treinamento das pessoas direta e indiretamente envolvidas nas mudanças. Também deve-se implantar indicadores de desempenho. Esses indicadores são os principais balizadores para monitorar o desempenho da organização, são eles que mensurarão se a empresa está no caminho estabelecido nos planos de ação validados pela direção.

Por último, mas não menos importante, a confidencialidade e sigilo da informação. A consultoria deve adotar todas as medidas necessárias a preservação do sigilo com relação às atividades e informações de seus clientes, inclusive na guarda de documentos e na manutenção da fidelidade de seus funcionários.

A consultoria tem como objetivos transferir conhecimento e experiências e orientar a organização, utilizando ferramentas de gestão e metodologias consagradas, entretanto, vale ressaltar que para o êxito do trabalho caberá a empresa e suas lideranças a assimilação desses conceitos e sua aplicabilidade no dia a dia da operação.


Fonte: Portal Administradores

 

https://goo.gl/Cjp2wd